domingo, 29 de setembro de 2013

5º Capitulo - «O facto de talvez nunca mais te ver assusta-me (...) »

- Mas tu fazes o favor de me largar? Eu devo ter mel só pode!
- E tu fazes o favor de te calar e ouvir o que eu tenho para dizer?
Olhava-me com uma cara séria, aquela que nunca tinha visto desde que o conhecia.
- Por onde é que eu hei-de começar? – perguntou , provavelmente para si.
Era para mandar aquela do se calhar pelo o inicio , mas o seu ar sério confesso que me assusta.
- Bem vou começar por dizer que o que aconteceu não foi apenas um beijo…
- Pois não foram dois! – Pronto não me contive nesta.
Chegou-se perto de mim, ele ia beijar-me tão obvio um sorriso formou-se dentro de mim e não só por dentro. 


- Três! – ia falar mas ele não deixou- agora calas-te que eu quero falar. –fez uma pausa -Rita..
- Sim- olhou-me com cara de mau- pronto desculpa não era para falar.
- É assim , sei o que tempo que nós passamos juntos foi mínimo , e para ti talvez não teve nenhum significado – fez uma pausa – mas para mim teve e muito acredita. Talvez nunca mais te veja, ou nunca mais oiça falar de ti , ou talvez…talvez isto seja só o inicio. O facto de talvez nunca mais te ver assusta-me , de nunca mais ver esse teu sorriso perfeito. Mas eu tenho esperança, tenho esperança que um dia possas vir a ser minha.
Sinto-me mal sabendo que a primeira mulher que me fez tremer que me fez ficar nervoso quando estou junto a ela se vai embora.
Tu despertas-te em mim um sentimento que não conhecia , um sentimento muito especial que me faz querer agarrar-te e nunca mais te largar, não lhe posso chamar de amor porque ainda não é tão forte mas talvez lhe chame de paixão.
Não vou desistir de ti acredita, porque sei que te hei de ver neste mesmo sitio e chamar-te de namorada.
Sem reação, não tinha o que dizer, á muito tempo que não me diziam coisas destas, nunca ninguém me disse, me disse aquela simples expressão que por vezes muda a tua vida e ele disse , ele disse ‘’ não vou desistir de ti’’. Aquela lágrima teimosa decidiu cair. Apressei-me a limpar.

- Ai estes ares de Itália fazem-me tão mal!
- Sim – ele sorriu – os ares de Itália.
- Não gozes! – atirei batendo-lhe no braço.
- Tens de ir não é? – perguntou
- É – respondi, que conversa esquisita – obrigada – disse olhando-o.
- De quê?
- Um dia perceberás!
Ficou a olhar-me confuso , mas eu sei que um dia ele vai perceber o porquê deste obrigado.
Dei-lhe um pequeno beijo na bochecha e vim cá para fora.
O Didác já estava no carro , e entrei no lugar de pendura. Puxei novamente as pernas para junto a mim.
- Estás bem?
- Acho que sim. – Oh maldita lágrima outra vez.
- Estás a chorar!
- Eu não choro – atirei com toda a calma.
- És daquelas duronas?
- Sim – sorri – eu aprendi a ser dessas duronas como tu dizes.
Ele olhava-me confuso , talvez porque o que eu dizia não coincidia com o sorriso sincero que me estava na face.
Chegou o meu irmão e por incrível que pareça sentou-se a trás, sem mandar vir comigo. Ele não estava bem, parecia pior que eu.
Almoçamos no silencio constrangedor.
Quando chegou a hora o Didác levou-nos para o aeroporto. Estava na  hora de dizer adeus a Milão , dizer adeus a tudo isto , e se calhar esquecer estes dias.. ou não.
Entramos no avião e sentamo-nos nos nossos lugares. Ia pôr os phones , mas antes olhei para o meu irmão e reparei que estava bastantes estranho. Decidi deixar os phones de lado.
- Estás bem? – perguntei , ele continuava sem reação a olhar para a frente- Salvador? – chamei , olhou-me  - eu estou a falar contigo!
- Sim diz.
- Tu não estás bem! O que se passa?
- Imagina que te propunham algo estavas disposta a uma mudança?
- Mudança? Oh Salvador, eu? A minha vida é feita de mudanças , e de certeza que ainda não acabaram mas do que é que estás a falar?
- De nada , de nada.
- Fogo! Que haja quem te perceba que eu não.
- Esquece vá! Vamos falar de outras coisas.
- Tipo o que?
- Fala-me sobre ti.- Olhei-o , ele não dizia coisa com coisa.
- Salvador ,quando dizem ‘’fala-me sobre ti’’ , costuma ser ás pessoas que não se conhecem , mas eu sou tua irmã , tu sabes tudo sobre mim , és a pessoa que sabe mais.
- Sim , mas fala-me por exemplo sobre a tua escola ,  esta tudo a correr bem?
- Então não? Ainda bem que não como na cantina se não estava com uma intoxicação alimentar.
- Áh eu também nunca comi na cantina.
- Heia ! és um mentiroso , e dizias á mãe que e comida era boa , e ainda inventavas o que tinha sido.
- Eu não inventava , dava-me ao trabalho de antes de sair da escola ir ver a ementa.
- Tão tu…
- Posso confiar em ti certo? Nós somos irmãos não é?
- É acho que sim.
- Achas?
- Sim , eu nunca me conformei tu teres olhos azuis e eu não.
- A explicação é fácil, se tivesses olhos azuis tinhas os gajos todos atras de ti.
- Obrigada , boa forma  para dizeres que não tenho gajos atrás de mim.
- Oh não é isso.
- Eu sei que não. – Ri-me , ele tinha ficado preocupado que eu tivesse levado a sério.
Pois é verdade uma pessoa nasce o mais normal possível , morena de olhos castanhos , o meu irmão deve ter sido trocado na maternidade porque tem olhos azuis , saiu á minha avó paterna possivelmente.
Mexi no telemóvel, ver se tinha alguma coisa apenas uma mensagem da Gabi, não me apetecia ler, não agora.
A Gabi é a única loira  (e é loira meia falsa) que gosto neste mundo , não é que tenha nada contra as loiras , só tenho contra aquelas que conheci até agora. A Gabriela é a minha melhor amiga, mas infelizmente não está ao pé de mim á algum tempo. Estamos juntas quando podemos, mas a distancia separou-nos á dois anos. Quando me mudei para a Costa ela já se tinha mudado á um ano para o Porto. Mas não foi por isso que nos separamos de coração  ela continua a ser a minha maior confidente e temos skipe todas as semanas.
- Oh Rita deixa ver a tua foto.
- Não sejas convencido que eu só tenho essa foto porque até tou bonita aí.


- Não somos nada parecidos!
- Nunca fomos – rimo-nos os dois.
- Tens uma mensagem nova. - não dei importância.
- Já tinha é da Gabi.
- Não, hegou agora – entregou-me o telemóvel.
Peguei no telemóvel , e vi  mensagem da Gabi e de um numero super esquisito. Abri e dizia
‘’ Ciao principessa (Olá princesa )
Como stai? (Como estás)
Voglio vedere rivederti (Eu quero ver-te novamente)
Un bacio :* ‘’ (Um beijo)
Deve-se ter esquecido que eu era portuguesa só pode, estava numa de provocar Google tradutor anda cá. Passado um pouco  respondi:
‘’ Io non sono italiana ,  cuore’’
Agora daqui a um pouco devia ter a mesma mensagem mas em português, se ele fosse ao google tradutor tinha uma abrasileirada.
Abri a mensagem da Gabi.
‘’ Olá Tola , tenho saudades tuas , muitas mesmo.
Que tal nos encontrarmos este fim de semana? Pensei num sitio diferente tipo Coimbra, em vez de eu ir aí ou tu aqui podíamos passar o fim de semana em Coimbra que tal? Mata-mos saudades de  tudo.
Já arranjei aquele que vai ser o meu próximo namorado, ele é tao perfeito imaginas? Foi buscar-me gelado ás 2 da manha.
Temos tanto para falar, beijinhos grandes.
Gosto muito muito muito muito muito muito muito muito de ti.’’
Vinha com uma foto , uma das nossas ultimas.


 Olá sua tola , também tenho muitas saudades tuas.
Vou ver se consigo este fim-de-semana. É só convencer a minha querida mãe.
Oh Gabi quem é o coitado desta vez? Gelado ás duas da manha? Onde é que ele o foi arranjar?
Sinceramente tenho pena do rapaz, aturar-te a ti é bastante complicado. Pera Gelado ás duas da manha? Mas tu andas com desejos? Ele já te engravidou ou foi mesmo para testar a paciência do rapaz?
Estou em viajem de avião fui a Itália imaginas? Que dias, foram só dois mas foram surreais.
Mata-me a curiosidade já tens sotaque do Porto? E já decidiste ficar morena? Acredita que estas loiras me dão cada dor de cabeça!
Gosto muitão de ti too. ‘’
Mensagem nova , foi rápida. Abri
‘’ Olá princesa
Como estás?
Quero ver-te novamente
Um beijo’’
Não tinha ido ao Google tradutor, ou se calhar sim. A verdade é que ele sabia falar português, com muitas coisas mal ditas mas sabia.
’ Olá
Eu estou ótima , e tu?
Ai queres ver-me?
Só um beijo? Andas fraquito.’’
Eu não acabei de enviar isto, eu estou a provocar o rapaz. Mensagem nova da Gabi.
‘’ Oh até parece eu sou muito fácil de aturar. E ele é super querido.
Hu! Itália? Já sacas-te um Italiano? Daqueles todos românticos?
Eu não estou grávida, isso era o que tu querias.
Convido-te para o meu casamento, este é o tal, eu sinto isso.
Beijinhos , vou ter com o Pedro.’’
Respondi:
’ És ,és. Então não? És uma chata.
Itália = a gajos convencidos.
Afinal o rapaz tem nome , claro tinha que ter nome de santo só para te aturar.
Dizem que tem as chaves do céu , será que tem as do teu coração?
Vai lá ter com o rapazito.
Beijo* ‘’
Arrumei o telemóvel quando estávamos a aterrar. Saímos do avião e fomos buscar as coisas a mesma seca de sempre.
Fomos para o carro do meu irmão, que o deixou cá e eu já nem me lembrava. Peguei novamente no telemóvel. Mensagem:
‘’ Se eu for até Paris fico chateada?
É os beijos que tu quiseres.’’
Ai , ele quer vir a Paris , ter comigo. Ele é tão querido. Ai mas o que é que eu estou a pensar. Respondi.
’ Diz-se ficas chateada.
Não eu não fico chateada.
Mas não te vou dizer onde estou a morar. Tens que ser tu a descobrir.
Os que eu quiser? Estás muito dado.
Bacio ‘’
- Estás muito animada. – Oh pá! Tenho um sorriso super parvo na cara mas o que é isto?
- Amanhã ficas em casa?
- Não tenho de fazer umas coisas.
- Mas é o dia de folga da Mariana. Tu costumas ficar sempre.
- Mas amanha não posso.
- Não podes ou não queres?- ele não respondeu – vocês não estão bem pois não?
Ele continuava a não responder , ele não está bem eu sei disso. Olhou-me e voltou a olhar para a estrada.
- Não – disse abanando a cabeça- não estamos nada bem.
O que eu suspeitava.
- Porquê?
- É complicado, já não nos damos como namorados mas como amigos. Se calhar nunca passamos disso de amigos.
- E quando é que resolvem isso?
- Não sei, acho que nós os dois sabemos o que se está a passar mas não admitimos, nem falamos sobre o assunto.
- Ai, admitam! Vocês não são nenhumas crianças!
- Pois não, mas…
- Mas? – olhei para o telemóvel que vibrava – Ui ! Chamada da mãe.
- Poe em alta voz.
* - Olá mãe, tás em alta voz.
- Olá filhos. Como correu Itália?- preguntou
- Bem – respondeu o Salvador.
- Ui que entusiasmo!
- A Rita arranjou namorado. – fiquei pasmada. Bati-lhe no braço e apressei-me a negar.
- Oh o Salvador tá parvo.
- Não estou nada! É verdade!
Sussurrei um ‘’ eu mato-te’’ , isto ia ser a minha sentença de morte.
- O teu irmão não mente Rita, é verdade?
- É, não mente não! Desde que eu sobe que ele nunca comeu na cantina e dizia que sim!
Agora era ele que se estava a lixar , sussurrou ‘’ estás parva não?’’.
- Salvador? É verdade?
- Hei oh mãe , isso já foi a séculos.
- Sim , tens razão falemos do namorado da Rita.
- Hei! Então? Mas que namorado? Não inventem coisas.
- Então o teu irmão estava a falar de quê?
- Do…do amigo dele , um espanhol , o sonho do Salvador é vê-lo comigo , mas não mãe ele não faz o meu género – agora uma desculpa para desligar- Mãe , mãe vem aí um túnel vou ficar sem rede beijocas adeus.
- Adeus.*
- Boa maneira para te livrares da mãe.
- Salvador a culpa é tua , tu tens noção do que fizeste ? Ela vai chatear-me com isto nos próximos dias , e quando eu for para Portugal , tens noção do que vou ter que aturar?
- Eu disse alguma mentira? Eu só adiantei a vossa relação. Porque ou muito me engano ou ainda o vou ver mais vezes.
Agora o Stephan tornou-se o assunto do dia.
Chegamos a casa e tiramos as coisas. Agora quero mesmo é dormir.
***

Acordei de manhã , com a Mariana.
- Rita , eu não te queria acordar mas está uma pessoa ali que quer falar contigo!
- David Beckham? – perguntei com a cabeça nas almofadas.
- Hum não.
- Baptiste Giabiconi?
- Nop.
- Pablo Alboran
- Também não.
- Oh então não sei se quero ir.
- Não é Inglês, Francês nem Espanhol. Mas é bem giro.
- Já vou então. – Oh mas quem é que queria falar comigo? eu com o sono não raciocino.
Ela sorriu e saiu do quarto.
Lá saí da cama.
- Mariana?-  chamei.
- Sim. – disse ela já de mala na mão – vou sair.
- Vais me deixar sozinha com um desconhecido?
- Ele? – sorriu – tenho a certeza que não é desconhecido para ti. – se calhar é o Stephan , agora já estou a racionar. – Vá vou indo! – Deu-me um beijo na bochecha – e penteia-te Rita , assim ate assustas o rapaz.
- É essa a ideia! – ela sorriu e dirigiu-se a porta.
Passei a mão pelo cabelo para não parecer um monstro, e precisava de certezas.
- Mariana? É italiano – gritei do meu quarto.
Fui caminhando até á sala descalça.
- Sou – respondeu o Stephan quando entrei na sala – E não sou só Italiano.
- És mais o quê além de Italiano?
- Sou egípcio.
- Também usas aquelas cenas na cabeça?
Ele riu-se que nem um perdido.
- Não!
- Olha que ficavas bem!
Olhou para mim de alto a baixo, e ficou fixado. Olhei para mim bem não estava assim muito vestida. Mas não tenho culpa , estou de pijama.


- Incomoda-te o meu pijama?
- Não por mim… até podias estar sem ele.



-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Olá :)
Bem aqui está aqui o 5º capitulo . Agora com as aulas vai ser um pouco complicado publicar com mais frequência mas vou tentar ;)
Gostava de vos pedir para, se lerem deixarem um comentário por mais pequeno que seja , só para eu saber se gostaram e se devo continuar ou não.
Queria agradecer-vos os comentários que tem  deixado ao longo dos capítulos minhas leitoras lindas *-* porque que são muito importantes, e claro agradecer a minha linda madrinha , à Ana *-* sem ela isto não estava aqui.
Beijinhos 
Mahina 

terça-feira, 17 de setembro de 2013

4º Capitulo - « Ainda ontem conheci o rapaz e estou com uma vontade imensa de lhe saltar em cima.»

Acordei com alguém a bater á porta. Virei o telemóvel para mim 7 da manha só podem estar a gozar com a minha cara.
            Abri a porta, e o Salvador entrou disparado no meu quarto.
            -Siiim…- disse – o que é que te trás aqui? Ás 7 da manhã?
            - Talvez porque são 8 da manha aqui maninha.
            - E…                                 
            - E eu tenho que ir trabalhar.
            - Não era só ontem?
            - Hoje tenho que acabar, para depois a reportagem sair completa. É só de manhã .
            - Claro só de manha e á tarde vamos embora. Também já não era sem tempo - murmurei.
            - Mal humorada.
            - Até parece.
            - Vá veste-te, e vem tomar o pequeno almoço lá baixo, depois saímos.
            - Sim chefe!

            Lá fui eu novamente ao banho , a minha parte favorita do dia é o banho. Depressa me vesti e desci para o pequeno almoço.


- Para onde é que vamos mesmo? – perguntei.
- Milanello. 
- Isso é algum centro comercial?
- Não.
- Então?
- É o centro de treinos do Milan.
- O quê?-perguntei – estás a gozar comigo certo?
- Não , Rita não estou a gozar contigo.
- Eu não quero ir.
- Na boa ficas á porta.
- Salvador!
- Olha Rita as coisas não podem ser sempre á tua maneira.
- Eu sei que não. – respondi num sussurro.
- Olha eu tenho de ir agora , por isso tu vais lá ter com o Didác.
- Não ! Parou tudo. Tu Salvador Lopes Almeida estas a pôr-me sozinha com um rapaz num carro?
- Descansa maninha , ele tem namorada.
- Eu não sou ciumenta, lamento informar.
- Não te faças muito ao rapaz , o Stephan pode não achar piada. – fiquei estática a olhar para ele. Ele acabou mesmo de dizer aquilo? O nervosismo era muito mas porquê?
- Não sabes o que dizes – olhei-o , tentando acabar com o assunto – onde está o teu lado protetor agora?
- Eu bem vi o que se passou ontem no jantar.
- Já devias saber que eu não vivo do passado.
- Eu tenho olhos na cara , eu vejo como se olham , mas também acho que é demasiado homem para ti.
- Achas que eu tenho que andar com alguém menos..homem é isso?
- Podes escolher ser mais uma.
- Ou posso escolher ser a única- Rita o que é que estás a dizer? – Mas isso não interessa porque ele já escolheu. –olhou-me - E fica descansado que a escolha não passou por mim.
Saí de ao pé dele sem o deixar dizer uma única palavra. Entrei no quarto e encostei-me á parte de trás da porta. O que é que se está a passar contigo? Tu não és assim. Não ficas toda nervosa quando te falam de um rapaz e muito menos foges á verdade.
Estremeci com o bater da porta nas minhas costas.
- Sim? – disse ao abrir a porta e ver o Didác.
- Vamos? O teu irmão já foi !
- Tens que lá estar a que horas?
- 9 horas.
- São?
- 8 e 20.
- Demoras?
- Meia hora mais ao menos.
- É melhor irmos não é?
- Sim.
Saímos do hotel , e fomos para o carro dele. Eu continuava a achar estranho ele estar a jogar no Milan e estar num hotel mas não penso em perguntar. Estava um silêncio estranho. Foi ele quem quebrou.
- Estás bem? Ontem não parecias.
- Eu estou bem.
- Tens a certeza ?
- Nop.
- Queres falar?
- Contigo?
- Mas tu vês aqui mais alguém?
Puxei as pernas para cima , poisando os meus pés no banco do carro.
- Importas-te? – perguntei
- Não.
- É assim – parei um pouco de falar e abracei as minhas pernas – é complicado sim? Ainda ontem conheci o rapaz e estou com uma vontade imensa de lhe saltar em cima.
Olhou para mim estupefacto. Pronto se calhar tinha sido um pouco direta.
- Olha para a estrada, sou nova de mais para morrer! – disse-lhe – desculpa se calhar fui um bocado direta de mais. – fiz uma pausa.
- Quem é o rapaz? – baixei a cabeça com a pergunta.
- Il faraone – acabei por responder.
- Porque é que não vais em frente?
- Porque ele já escolheu a dele e é loira. Fogo a sério ele atirou-se a mim e depois é isto. – tinha que esquecer isto , pelo menos por agora – falta muito ?
- E…- virou á direita- chegamos!
- Suspeitas a onde é que possa estar o meu irmão?
- Cá fora a ver o treino ou lá dentro.
- Huau , cá fora ou lá dentro boa ajuda.
Quando me virei para olhar para ele , ele já não estava la. Lindo! Agora quero ver como encontro o meu irmão aqui.
Comecei a caminhar , talvez dentro daquele edifício. Ora ali tem pinta de ser balneários talvez á direita. E … encontrão! Ando perita neles desta vez deve ser um chinês.
- Scusate! – disse o rapaz.
- Scu quem? – disse olhando para ele. Oh não outra vez não. – Tu?
- Qual é o espanto? Eu passo aqui a vida.
- Aqui e na cama não é verdade? – disse baixo olhando para o lado.
- O que ?
- Nada adeus!
- Espera!- disse agarrando-me no braço quando já estava para me vir embora.
- O que é que tu queres? A loira não te chega?
- Do que é que estás a falar?
- Olha de mim não é de certeza , estás a ver-me com cabelo louro.
- Tu viste! – Disse todo animado- e ficas-te gelosa.
- É pá mas vi o quê? E fiquei o quê? - disse , não tinha percebido nada o português dele tinha muitas palavras italianas.
- Estás toda cheia de ciúmes!
- Ciúmes eu? Só tenho ciúmes do que é meu.
- Eu posso ser teu.- Ai como ele me enervava é tao convencido.
- É e tu pensas que o mundo gira á tua volta!
- O mundo não mas tu sim!
- Tu és convencido até dizer chega , deves pensar que sou como as italianas que estas habituado , piscas o olho e levas as para a cama. Lamento informar mas isso comigo não pega.
Chegou-se perto de mim e poisou as suas na minha cintura.
- O que é que tu pensas que estás a fazer?- perguntei perplexa. – Afasta-te.
Ele não cedeu á minha ordem e foi-se chegando cada vez mais perto de mim. Já não tinha forças para me afastar dele. O corpo dele colado ao meu , bem que me tentei livrar dele mentalmente , mas foi só isso…mentalmente.
Chegou o seu rosto perto do meu e beijou-me , sim ele beijou-me colou os seus lábios aos meus ele atreveu-se a beijar-me! Ai Stephan estás tão lixado quando este beijo acabar.
Não posso dizer que foi mau , porque não foi ele deixa-me louca não sei como nem o porque mas deixa. Afastou os seus lábios dos meus e olhou-me com um sorriso provocador.
- Ai tu enervas-me a sério que me enervas – disse embatendo com as minhas mãos no peito dele.- sabes qual é a minha vontade agora? É de te bater.
- E eu a pensar que era de me beijar!
- Ai e é!- mas o que é que eu estou a dizer?
Chegou perto de mim roçando o seu nariz na minha bochecha , as minhas mãos foram parar ao seu pescoço e as dele á minha cintura. 



Boca a boca outra vez! Mas no que é que me estou a meter? Foi ele quem interrompeu.
- Fofinha adorava continuar a trocar saliva contigo mas tenho que me ir equipar.
Fiquei estática a olhar para ele. Deu-me um pequeno beijo na bochecha e desapareceu da minha vista. Bonito mas no que é que eu me fui meter.
Estou completamente fora de mim no que acabou de acontecer , eu deixei que ele me beijasse , eu não sou assim.
Fui direita para um muro onde tinha vista para um dos campos. Ainda não tinha noção do que tinha acabado de acontecer. Durante estes pensamentos foi o Salvador quem me passou a frente.
- Salvador! – chamei.
- Estás aqui! Por volta do meio dia é para irmos sim?
- Sim.
- Vou para o campo.
Hoje vou voltar para Paris , e talvez tenha que esquecer isto tudo. Foram apenas dois dias…para esquecer.
-Eu vi você!
Assustei-me com aquela voz , olhei para trás quando vi o Robinho.
- E vês se não és cego!
- Você sabe que não é a isso que me estou referindo.
- Então estás a referir-te a quê?
- Você beijou Stephan! – Fiquei pasmada a olhar para ele. Ele viu! Ele e mais quantos?
- Não beijei Stephan não! – disse imitando o sotaque dele – Ele é que me beijou a mim!
Ele riu-se.
- Isso ainda vai dar namoro!
- Sim , claro tens toda a razão.
- Veja bem o treino que hoje haverá golo para si!
- Oh sim , será que há coração?
Ele continuou-se a rir e dirigiu-se ao campo. Que seca que eu ia apanhar.
Eu não estava para aturar aquilo e fui dar uma volta, pelo sitio. Não havia muito para ver, voltei rápido e ele ainda não estava em campo estava a caminhar quando ele me passa a frente pisca-me o olho e entra com toda aquela sensualidade em campo.


(Stephan)

Eu beijei-a sim , eu beijei-a foi tão especial. Algo que não consigo explicar.
Estávamos a começar o treino. Entre aquecimento e olhar para ela. Olhar para ela foi o que escolhi. Ela é algo fora do normal , tem um feitio próprio e é tão linda , aquele sorriso faz-me tremer.
No meio destes pensamentos, foi o Prince quem me bateu no braço.
- Svegliarsi ! (acorda).
- Sono sveglio (eu estou acordado) – respondi.
- Sei in amor ( tu estas apaixonado)
- Zitto ! ( cala a boca)

( Rita)

Não havia nada para ver por aqui e decidi voltar.
Estava ao pé do meu irmão, e quando vi os dotes do rapazinho.
Nada mau para gajo de 19 anos.
Começaram o jogo de treino , que secante. Fui dar outra volta pelo centro de treinos, não se via nada nem adeptos. Voltei pouco tempo depois , estavam todos a descansar. E o Stephan dirigiu-se para dentro.
Cheguei perto do Robinho do meu irmão e do Didác.
- Já acabou? – Perguntei animada.
- Não, intervalo. – Respondeu o meu irmão.
- Hum , pensei que tinha acabado.
- Não , é a cabeça no ar! Não está habituado a este público. – disse o Robinho, uma pessoa fora do assunto não tinha percebido , já eu percebi bastante bem ele referia-se ao Stephan.
-Não houve golo , nem coração! – disse com ironia , fingindo-me ofendida.
- O que é que vocês estão a falar? – perguntou o meu irmão.
- Cusco Salvador! É por ali? – perguntei olhando para onde ele tinha ido.
- Sempre em frente.
- Grazie! – disse piscando o olho.
Não estou em mim , eu estou neste momento a dirigir-me aos balneários onde ele está. Eu não sou assim não fico louca por um rapaz. E ainda há uma coisa por resolver A LOIRA.
Entrei no edifício e fui sempre em frente como disse o Robinho.
- Can you feel the love ? Can you feel the love ? – Não parou tudo , Stephan de toalha a cantar This is love que máximo. – This is love, this is love, this love.
- Estás muito animado rapaz!
- Vieste provocar-me ou já tens saudades dos meus beijos.
- Fogo que convencido!
- A ultima vez que me chamas-te convencido acabamos aos beijos
- Isso não vai acontecer , lamento informar.
Chegou-se mais perto de mim.
- Não te chegues perto de mim! Tenho medo de ti. Ainda me podes violar!
- Violar?
- Sim , não sei o que esperar de um desconhecido.
- Foi com este desconhecido que andas-te aos beijos lá fora.
Ele calou-me. Coisa que quase ou ninguém consegue.
- Imagina eu, tu e…
- As outras todas– atirei.
- Não , não! Algo mais intimo percebes? – acho que não mas pronto – eu , tu e …
- Eu , tu e…-pensei uns instantes -água quente!
- Água quente? Queres dizer banho ,espuma agua quente e nós os dois?
- Não! Tu só tu mesmo! Depois eu e água quente. Disseste algo intimo.
Ouvi barulhos , talvez os outros a chegarem
 - É melhor ir embora!
 - Tens medo que te vejam comigo?
- Não o que tenho mesmo medo é que te vejam a ti comigo e pensem que sou tua namorada.
- E se pensassem que és minha namorada? Qual era o mal?
- O mal é que não sou!
- Mas podes ser...
- Hum não, não me parece mesmo – este meu irmão dá-me umas ideias , talvez não fosse demasiado homem para mim mas sim não o suficiente -  sabes prefiro alguém mais…homem percebes?
- Achas que não sou suficiente homem para ti?
- Sinceramente ? – fez que sim com a cabeça – acho. Agora é melhor ir embora.
            Não deixei que ele respondesse e sai dali.
            - Maninha? – chamou o Salvador.
            - Sim.
            - Já conversaste tudo com o Stephan?
            - Ai a minha vida! Essa conversa já me anda a enervar. Vamos esclarecer uma coisa eu não quero rapazes e tu sabes bem o porquê por isso acaba com isso já. – Fui fria direta e dura, exagerei? Talvez , ele só estava a brincar eu sei que sim, mas ás vezes as brincadeiras passam a algo mais sério.
            - Desculpa.- disse agarrando-me as mãos - eu não queria…
            - Eu sei que não, desculpa eu acho que estou a levar isto muito sério.
            - E se for sério?
            - Vai deixar de ser.
            - Eu já me despachei , é só despedir-me deles e depois podemos ir embora.
            - Vamos com o Didác?
            - Sim podes ir ter com ele eu devo demorar um bocado.
            Fiquei parada no mesmo sitio, era agora dizer adeus a Milão. Olhei em volta e não se via ninguém.
            De repente alguém me puxou pelo braço.
            - Mas tu fazes o favor de me largar? Eu devo ter mel só pode.