domingo, 1 de dezembro de 2013

15º Capitulo - «Cunhado…vou ser breve, se tu por a caso fazes mal à minha Rita , deixo-te estéril. »

- É a Giulia.
- Eu sem bem quem ela é, apesar de não me interessar muito, mas não foi isso que te perguntei Stephan.
- Ela está aqui porque veio comigo.
- Porquê? É tipo cãozinho vem atrás?
- Rita, ela fez-te alguma coisa?
- Fez! Gosta muito de ti para o meu gosto!
- És teimosa. Ainda nem a conheces.
- Se eu sou teimosa vai ter com ela pode ser que não seja, não a quero conhecer.
Agarrou-me pela cintura e puxou-me para ao pé dele.
- És tão gira com ciúmes.
- Nem penses!- larguei-me dele – Sabes estamos num aeroporto, posso muito bem voltar para Portugal.
Agarrou-me no braço e puxou-me outra vez para ele.
- Para de ser parva, estás aí toda cheia de ciúmes.
- Eu não gosto dela! É loira e agarra-se a ti.
- Se fosse dó ela que se agarra-se a mim.
Aquela conversa já me estava a enjoar.
- És tão fofa assim cheia de ciúmes.
- Ai, eu juro que te odeio!
- Tu amas-me. Ciumenta!
- Pois sou, sou mesmo.
- E é preciso?
- Não sei, diz-me tu.
- Podes duvidar de tudo, mas nunca duvides do meu amor por ti.
Sorri e agarrei-me a ele.
- Aviso já que não sei falar italiano – disse-lhe.
- És tão má.
- E se tu lhe ensinas-te a dizer ‘’olá’’, juro-te que nunca ouvi essa palavra na minha vida, e muito menos sei o que quer dizer.
- Vá, anda lá – disse agarrando-me na cintura e encaminhando-nos para o carro.

***
- El – chamei.
- Hum – disse ainda com voz de sono.
- Tens manga?
- Manga?
- Sim manga, estas a ver meia amarela.
- Rita…- virou-se para o outro lado pegando no telemóvel – são precisamente 3 e 46 da manhã.
- E eu quero manga.
- Estás grávida?
- Tu é que sabes o que andas a fazer!
- Não fizemos nada!
- Aí está, as grávidas têm desejos, mas eu não tenho desejos, comer manga é uma necessidade.
- Agora?
- Sim agora.
- Amore isso é o sono a falar mais alto. – disse agarrando-me e puxando-me para ele.
- Não, não é!
- É sim – puxou-me novamente para ele e deu-me um beijo – melhor que manga não é?
- Noutras circunstâncias sim, mas não hoje.
- Rita…- deu-me um beijo na testa – anda lá princesa esquece a manga.
- Por causa disto um dia quando tivermos filhos vão nascer todos amarelos meios cor de laranja.
Ele começou a rir-se muito.
- És tão parva.
- Ainda me insultas!
- Pronto eu nunca mais insulto a futura mão dos meus filhos.
- Quero três.
- Quantos rapazes?
- Dois.
- A Rapariga a mais nova?
- Claro para os irmãos mais velhos a protegerem.
- Temos acordo?
- Temos acordo!
Agarrei-me a ele deixando a minha cabeça no peito dele.
- Rita?
- Hum.
- Podem ter crista?
- Talvez, esse assunto fica em suspenso.
Deu-me novamente um beijo na testa, agarrou-me bem contra ele.

***

- Rita! Anda lá. – Gritou o Stephan já a uns bons metros de mim.
- Não! – Sentei-me no chão – não saio daqui.
Ele parou e veio ter comigo sem apara de se rir.
Afinal quem é que me manda vir correr a um sábado de manhã com ele? Ele que corre uns bons quilómetros na boa e eu estou aqui toda partida e acho que ainda nem a meio vamos.
- És tão fraquinha.
- Eu odeio educação física, a professora manda correr à volta do campo e eu cheguei muitas vezes, enquanto ela falava com outros professores a sair daquela corrida e a ir para trás do pavilhão, e depois voltava como se nada tivesse acontecido.
- Rita mas anda lá – disse-me dando-me a mão para eu me levantar.
- Não aguento – disse já levantada.
- Falta pouco para chegarmos a casa.
- O teu pouco é que distância?
- Dois quilómetros.
- Só se me levares ao colo, é que eu vou.
- Até levava, mas depois as pessoas olham e eu não gosto que olhem para a minha princesa, e amanha era capa de revista ‘’ Faraó leva Cleópatra ao colo pelas ruas de Milão’’
Começamos os dois a rir bastante, iria ser uma notícia interessante sem dúvida.
- Só se formos a caminhar é que eu aguento.
- Então vamos a caminhar.
- Mas eu atrás e tu á frente?
- Não, tu à frente e eu atrás.
- Eu sei o que tu queres…
- Esses leggings assentam-te mesmo bem.
- És tão parvo!
- Queres saber? Que se lixem as pessoas, anda cá – disse agarrando-me a mão.
Começamos a caminhar, e a falar dos nossos planos para a tarde. O nosso almoço ia ser lasanha, para ganhar as calorias que perdemos nesta ‘’semi-corrida’’.
Quando chegámos, o Stephan foi o primeiro a ir tomar banho.
Andava ás voltas pela casa, quando tocaram à campainha, não sabia bem o que fazer abrir, não abrir?
- Stephan? – Chamei do quarto. – Estão a tocar à campainha.
- Vai abrir.
- Vou? Não é perigoso?
- Não.
Desci as escadas e fui até à porta. Ainda com algum medo abria-a.
Deparei-me com o Manu à minha frente.
- Cunhada! Eu sabia que devias estar cá hoje.
- E decidiste estragar o meu fim-de-semana perfeito?
- Não digas uma coisa dessas. Até me ofendes!
Deixei-o entrar e fechei a porta.
- O meu irmão?
- Está no banho.
- E tu estás aqui?
- Não, estou lá isto é o meu espirito.
- De vez em quando deves ser parva.
- Stephan? – Chamei.
- Sim – disse quando apareceu em toalha nas escadas.
- O teu querido irmão disse que de vez em quando devo ser parva.
- Oh Manu tu deves também ser parvo! Não insultes a Rita, só eu é que posso fazer isso.
- Eu estava a brincar.
- Nós sabemos – disse o Stephan.
- Estávamos a gozar contigo percebes? – Perguntei eu.
- Tipo daquela vez que dormiste com o Niang! – disse o Stephan.
- Durante quanto tempo é que vão gozar comigo por causa disso?
- Para…sempre. – Disse o Stephan.
- Até arranjarmos algo ainda mais embaraçoso para gozar contigo. – Concluí eu.
- São terríveis.
- Nós sabemos.

***

Já tínhamos acabado de almoçar, estávamos no sofá. Eu estava com a cabeça nas pernas dele, e brincava constante mente com o meu cabelo.
- Sabes o meu irmão deve andar metido com uma miúda, e esteve cá em Itália.
- Eu sei, ele esteve no Milanello.
- Esteve? – Perguntei surpreendida.
- Esteve e acompanhado.
- Acompanhado?
- Sim, uma loira toda boazona.
- Estás a gozar com a minha cara?
- Não estou a falar a sério, era assim loira e depois é daquelas que tem tudo no sítio, sabes?
- Não, não sei.
- Sei eu.
Aquela conversa já estava a enjoar, eu sei que ele me está a provocar mas está também a enervar-me.
- É engraçado como as loiras e ciúmes está tudo ligado.
- Cala-te tu estás a provocar-me.
- E tu ficas com ciúmes? Principalmente da Giulia?
- Já sabes que a resposta é sim, já sabes que tenho ciúmes e não é pouco.
- Sabes que no dia a seguir a nos conhecermos, tu disseste que só tinhas ciúmes do que era teu lembras-te?
- Se me lembro…os primeiros ciúmes a manifestarem-se.
Sorri ao lembrar-me daquele dia, daquela troca de palavras bruta.
‘’ - Tu viste! – Disse todo animado- e ficas-te gelosa.
- É pá mas vi o quê? E fiquei o quê? - disse , não tinha percebido nada o português dele tinha muitas palavras italianas.
- Estás toda cheia de ciúmes!
- Ciúmes eu? Só tenho ciúmes do que é meu.
- Eu posso ser teu.- Ai como ele me enervava é tao convencido.
- É e tu pensas que o mundo gira á tua volta!
- O mundo não mas tu sim! ’’

- Como só tens ciúmes do que é teu, significa que eu sou teu.
- És inteiramente meu.
- Isso agrada-me.
- É?
- É. – baixou a cabeça até chegar aos meu lábios, tomou-os como dele até o meu telemóvel.
- Stephan! Vá deixa-me atender.
- Não é preciso.
- É, é.
Ele lá se afastou e eu atendi o telemóvel era a Gabi.
- Olá, olá – disse eu.
- Rita!
- Mas o que é que eu fiz?
- Onde é que estás?
- Num sofá.
- Rita!
- Estou numa casa!
- A onde?
- Numa cidade.
- Rita!
- O que é que queres saber?
- Se estás com o jeitozinho?
- Sim estou com o meu namorado sexy.
- Eu quero falar com ele!
- Não falas não, que eu não deixo.
- Porquê?
- Vais ameaça-lo.
- Não vou nada – disse ela.
- Vais, vais!
- Não vou nada.
- Admite…
- Sim eu vou ameaça-lo.
- Então não vais falar com ele.
- Rita por favor.
- Admite queres falar para ele, para ver se ele tem uma voz sexy.
- Não!
- Sim.
- Também – acabou por responder.
- Alta voz e cuidado com o que dizes.
Pus em alta voz e ergui o telemóvel á cara do Stephan.
- Diz-lhe olá com essa tua voz sexy, para ela me parar de chatear.
- Olá Gabi.
- Ele sabe o meu nome? – Perguntou ela.
- Vá, despacha lá a coisa que interrompes-te aqui a nossa tarde.
- Cunhado…vou ser breve, se tu por a caso fazes mal á minha Rita , deixo-te estéril.
- És doida! – Disse eu.
- Pronto exagerei um bocado, pronto toma bem conta da minha princesa.
- Minha, queres tu dizer – disse o Stephan.
- Não queiras competir comigo para ver de quem é que ela é.
- Gabi, coisa boa adeus, gosto muito de ti.
- Estás a despachar-me porquê?
- O fim-de-semana é muito curto.
- Está bem, gosto muito de ti e diverte-te.
- Beijinhos.
- Porque é que eu tenho a ligeira sensação que não acaba por aqui as interrupções?
- Porque não acabam mesmo – disse ele pegando no telemóvel que estava a tocar.
Ele atendeu e eu percebi logo quem era, o Flamini.
A chamada demorou algum tempo, falaram dos planos do El para hoje, até aos planos para o fim do jogo de amanhã.
Quando finalmente desligou a chamada olhou para mim com aqueles olhos mais do que sedutores.
- E o que vamos fazer à noite?
- Filme.
- E pipocas?
- E pipocas.

***
O filme já tinha acabado, e o Stephan estava com a cabeça nas minhas pernas, a dormir provavelmente.
O filme era giro, mas bem é comédia romântica e ele adormeceu a meio.
- Stephan? Estás a dormir.
- Não.
- Que ideia!
- Eu vi o filme todo!
- Ai viste?
- Vi!
- Não viste nada! Babaste-me as pernas todas.
- Não babei nada!
- Então e gostas-te daquela parte em que eles vão de avião?
- Sim, estava mesmo fixe!
- É engraçado, eu vi o filme todo e não houve parte nenhuma em que eles tivessem ido de avião! Admite dormiste que nem um anjinho.
- É, as tuas pernas são mesmo fofas. Vamos dormir?
- Vamos dormir, ultima noite contigo.
- Não vais pedir manga pois não?
- Não meu amor, a única coisa que quero és tu.
- Ti amo.

- E eu a ti.
Puxou-me para ele e simplesmente fez o que sabe fazer melhor beijar-me.



***
Acordei com os beijos do Stephan, nem quero acreditar que é o meu último dia em Milão.
- Não me quero ir embora.
- E eu não quero que vás embora.
Abracei-me a ele, a sentir aquele cheiro aquela pele em contacto com a minha, não quero nem um pouco voltar a ficar sem isto por muito tempo.
- Rita?
- Sim.
- O que pensavas de assumir a nossa relação.
- Um pouco cedo talvez, não?
- E indiretamente? – perguntou com um sorriso na cara.
- El, o que é que queres?
- Uma foto da tua mão com a minha no meu twitter.
- A minha mão é toda tua.
Pegou no telemóvel, e tirou uma foto, no fim mostrou-me.


‘’ O que é bom acaba de pressa, minha princesa <3’’

Vestimo-nos e fomos tomar o pequeno-almoço, íamos sair durante a manha antes do Stephan ter de ir para o Milanello.
- As tuas fãs doidas não me vão odiar?
- Elas não sabem que és tu!
- Mas vão-me odiar na mesma.
- Não digas isso princesa.
- Então, chegou a minha vez.
Posicionei o telemóvel e uni os nossos lábios.


‘’ Paris, cidade do amor? Talvez, mas Itália é bem melhor. Ti amo <3 ‘’


7 comentários:

  1. Olá!
    Um capitulozito maior mas a mim nunca me chega! Ficava a noite TODA a ler isto!
    A conversa sobre bebes foi ultra fofa *-* E a dos ciumes e a dos filmes e a cena com o Manu! Tudo é terrivelmente fofo. Nem eu acredito que o fds deles esta a terminar :( Oh Rita vai para Italia!!!
    Eu quero muito o proximo! Quero quero querooooo! Esperando o proximo domingo... xD

    Beso
    Ana Santos

    ResponderEliminar
  2. Ai ai ai ai ... ai que o amor é tão lindo!!
    Eles só sabem ser lindos, perfeitos, maravilhosos! Ai eu amo-os!!!
    Mahina, minha querida, são o casal mais maravilhoso que já li. AMO-OS!!
    Ri e babei com tudo! Quero maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais!

    Beijinhos.
    Ana Patrícia Moreira.

    ResponderEliminar
  3. Amei <3
    Casal lindo, pena que ela tenha que voltar :(
    Estou ansiosa por mais...
    Besos

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Amei! Mas amei mesmo tudinho!
    Eu já disse e volto a dizer eles são o casal mais fofo que existe!! As conversas deles...sobre os filhos e a pergunta do El sobre se podem ter crista mataram-me de tão queridas que são! Os ciumes dela..as provocações dele...amo tudo!
    Depois a cena com o Manu foi mesmo de rir! Engraçado foi também o telefonema da Gabi!
    E depois mais momentos fofos entre o casal perfeito...a conversa do filme e depois no dia seguinte as fotos para o Twitter!!
    São tão fofos eles! *_* E agora a Rita tem mesmo de ir embora de Itália??? Não por favor não! O aeroporto podia encerrar para casais apaixonados que não se podem separar! Era tão bom que continuassem mais dias juntos!
    Mas eu quero é o próximo!!

    Beijinhos guapa,
    Sofia

    ResponderEliminar
  5. Adorei quero o proximo.bjs

    ResponderEliminar
  6. Olaaaa

    Maravilhoso *_* Que venha o próximo :)


    Beijinhos


    Catarina

    ResponderEliminar